Arquivo para junho \30\UTC 2011

Momento colono social.

Este que vos escreve concedeu uma entrevista para revista Flash Vip. saiu na edição desse mês.

Confira o making of da produção aqui:

aqui a entrevista escaneada:

se tiver paciência, leia que ficou bem bonita.

Anúncios

O Unocultural está de volta e aos poucos as coisas começam a acontecer.

A primeira exposição esta acontecendo e você pode conferir as datas e os locais aqui:

http://unocultural.tumblr.com/

Conheça mais do trabalho do Matheus aqui:

http://www.flickr.com/photos/tomatespacial

MARUJO COGUMELO

A próxima atração é a banda Marujo Cogumelo. O show acontecerá no teatro do SESC e vai ser no próximo final de semana, domingo, dia 03, às 19:00 h.

Sempre lembrando que os ingressos são limitados. Tem 96 ingressos, (pra ser mais preciso). Chegue cedo e garanta o seu.

Há uns dois meses atrás tinha feito um texto falando sobre a banda e sobre o disco “Jardim das Américas”. O texto foi publicado agora no site Senhor F.  Acesse aqui e confira:

http://www.senhorf.com.br/agencia/main.jsp?codTexto=6223

 Fique por dentro das atrações do Unocultural – Ano 2:

http://unocultural.tumblr.com/

http://www.facebook.com/Unocultural

http://twitter.com/#!/unocultural

Plato Divorak no programa do Lerina! (Camarote Tv Com)

Plato Divorak lançando o cd de Plato & Os Exciters no programa Camarote
TVCOM, Juntamente com Leonardo Bomfim no violão.

sempre digo, mas vale a pena repetir:  GRANDE PLATO!!! SENSACIONAL!!!

sobre a narrativa em off: foto dos bastidores do show do defalla (por Giovani Paim)

Edu K e Plato in of

Outras coisas pra se fazer em Porto Alegre.

Passear em Porto Alegre, além de um prazer, acaba sendo muito produtivo. Fui para ver o show do Defalla, mas com a intenção de organizar uma série de outras coisas pendentes. Numerei em seis partes e coloquei em posts separados. Mas é um texto só. Além dos seis, que com esse aqui virou sete, tem o texto sobre o show do Defalla que é o oitavo. E na verdade isso não importa muito. Mas enfim… só pra tentar gerar uma lógica. Leia na vertical de cima pra baixo.

Obs: As fotos do Bill Murray e da Scarlett Johansson na rua da praia em Porto Alegre foi tirada por um fotógrafo amador.

01 – Demo Repolho

Consegui digitalizar uma fita rolo com uma demo do Repolho. A fita estava guardada, mofada e devidamente grudada, mas continha um petardo musical intitulado “Campo e Lavora”. Nossa terceira demo tape que tinha sido gravada em Porto Alegre ainda no sistema analógico, foi lançada em 95. Na época não tínhamos grana pra mixar da maneira que queríamos e a demo acabou ganhando contornos mais lineares na hora da mixagem.

Tudo era diferente. As demos aconteciam em fita cassete e mesmo em Porto Alegre não existia um sistema de copia de CDs por exemplo. Gravamos em fita rolo de 16 canais. Mixávamos na mesa de som digitalizávamos em DAT (digital áudio Tape) e com essa fitinha em mãos fomos até Canoas(??), num cara que fazia copia disso em cd. Com o cd em mãos voltamos pra Chapecó e gravávamos uma a uma, as fitas cassetes que seriam distribuídas via correio. Chega parecer surreal se pensarmos nessa evolução tecnológica que fomos submetidos nos anos seguintes possibilitando facilidades pra tudo e câncer de todos os tipos.

Em contatos diversos descobri que a gurizada do Marquise 51 possuía um gravador de rolo. Combinei com o Andre Brasil e lá fui eu com a fita rolo em mãos gerar a possibilidade de resgatar os 15 canais separadamente com o intuito de remixar e remasterizar tudo. Quando colocamos o material pra rodar foi bonito e assustador. A fita estalava e o gravador não girava direito. Tecnologia analógica mata a pau. O sistema identifica as coisas e reage de forma sutil como se tivesse um carinho/cuidado ao rodar a fita para não machucar o áudio. Depois de passar a fita algumas vezes o próprio aparelho foi acuierando tudo e deixando a fita normal. Foi uma alegria só poder ouvir sonoridades, nuances e piadas que outrora fora abafado pela falta de possibilidade financeira de explorar as tecnologias na época. A demo será encaminhada para as mão mágicas e talentosas de Thomas Dreher (que ainda não sabe disso, porque ele não atende o telefone) para realização desse trabalho. A idéia é que o material seja lançado em breve.

02 – 2° disco dos Irmãos Panarotto – encontros e desencontros.

Bill Murray em Porto Alegre


Ano passado anunciamos o lançamento de um novo disco dos Irmãos Panarotto. O disco que foi gravado em janeiro de 2010 se chamaria: “Truco!!! 6,6,6 porque nóis semo do diabo!!!”. Algumas coisas bizzaras, bizzzzarrras e non sense nortearam a pós produção desse disco. Foi uma série de eventos que se sucederam e que acabou gerando esse atraso.

O Daniel Téo do estúdio Folklore (atualmente Sopro – local sensacional onde o disco foi registrado num verão portoalegrense de 42º na sombra), gravou todos arquivos com os bounces do disco em 4 dvds e entregou para o Marcelo Birck. Ele disse que entregou em mãos, mas o Marcelo Birck alegava que nunca tinha recebido essas copias.

Primeiro encontro: até aí tudo ok. Era só fazer novas copias.

Segundo desencontro: O estúdio que antes se chamava Folklore, agora se chama Sopro e na mudança da razão social alguns arquivos tiveram que ser apagados. Coisas de contador. A alegação é que a razão social não era Folklore e passou a se chamar Sopro. O computador foi vendido e junto com eles todas as master do disco original, além dos arquivos apagados.

Segundo encontro: Estávamos nos organizando para ir a Porto para gravar novamente o disco,  quando…

Primeiro desencontro. O Marcelo Birck andava pelas ruas de Porto Alegre, mais precisamente na Av. Independência esquina com a Thomas Flores. Quando foi abordado por um cara parecido com o Bill Murray, que lhe entregou um pacote com 4 dvds. Quando ele chegou em casa percebeu que eram DVDs piratas com shows diversos de sertanejo universitário. Mas ao tentar ouvir percebeu que se tratava das gravações do disco perdidas. O som estava estranho, segundo o Birck, ocorreu uma desmagnetização e desaceleração das faixas tirando alguns instrumentos da sincronia, deixando os vocais muito parecido com os de duplas sertanejas. O Birck ligou pra gente e disse: venham ouvir isso. Mais do que isso ele alegou que o disco deveria  se chamar: “Johansson – um translado perdido”.

Scarlett em Porto Alegre

Aproveitei a minha passagem por Porto Alegre e aproveitei para marcarmos essa audição do material. Percebemos que além dessa dessincronia o álbum já estava pré-mixado. Estamos nos ajustes finais, acelerando e desacelerando as faixas para ver se conseguimos recuperar as freqüências. O material deve ser lançado em breve.

Curta metragem (talvez média), mas a história é longa (tóin)

Making-of

Aproveitei para agendar uma conversa (um pré-briefing) com o Daniel Téo que é o responsável pela trilha de um curta metragem que estamos produzindo em Chapecó. O curta que foi escrito e dirigido por este que vos escreve (e viabilizado por um povo bacana que é apaixonado por cinema e comprou a idéia do filme) encerrou a etapa de captação de cenas e parte para montagem. Em breve maiores noticias e detalhes.

Saiu uma matéria sobre o filme aqui:

http://ameliepolenta.wordpress.com/2011/06/15/uma-camera-da-mao-e-uma-ideia-na-cabeca/