Defalla – 26.06.2011

believe my eyes

Fui pra Porto ver o Defalla. Foram dois shows, acompanhei a passagem de som e muitas surpresas. Tudo aconteceu de maneira muito intensa. As duas sessões (duas sessões???) estavam lotadas e tudo foi registrado de maneira profissional pela Zeppelin (produtora). O que vai ser feito com isso eu não sei ao certo. Mas pode ter certeza que tem coisa muito bacana registrado ali. O Thomas Dreher foi o técnico de som e gravou tudo de maneira mais profissional. Vem coisa boa aí porque o show foi Du caralho!!!

Lógico que sai de Chapecó sem saber o que eu veria e principalmente ouviria no show. Em se tratando do Defalla tinha grandes possibilidades de ser surpreendido (talvez de forma desagradável). Chegando em Porto conversei com algumas pessoas e todas elas diziam a mesma coisa, que não sabiam se ia dar publico e muito menos o que esperar de um show do Defalla, envolvendo a  formação original (dos dois primeiros discos) tanto tempo depois. Pensei comigo, mesmo que seja ruim, pode ser bom. Como nunca tinha visto eles tocando juntos nessa formação, tudo o que viria dali seria lucro. Em últimos casos já ia ser um prazer ver a Biba tocar bateria.

Mas a coisa foi muito mais legal do que eu imaginava. Fui na passagem de som. Me plantei em frente ao palco e fiquei observando tudo. Os comentários eram muito engraçados e os problemas também. O Edu dizia: “tem que ser show do Defalla pra chegar aqui e não funcionar o cubo do baixo e nem o da guitarra”. Horas de espera e o espírito da chinelagem prevalecendo de maneira muito bacana e conceitual. E nada dos cubos. Daí o Edu dizia. “Banda é uma merda. É por isso que eu virei DJ. Chego lá e tá tudo pronto é só tocar”. Comentários irônicos ou não. Era legal perceber que eles se dão muito bem e estavam num clima muito bacana. São velhos amigos “voltando” para uma apresentação. Uma diversão total. Talvez, sem a consciência que isso tudo tem uma representatividade histórica. Tão importante que todo mundo percebeu isso. As vertentes foram diversas e a noite foi atípica no Beco. Vieram pessoas de todos os lugares pra ver o Defalla. A fila da entrada era gigantesca. As pessoas compraram a idéia de ver o Defalla novamente. Reuniu pessoas que há muito não se viam na noite portoalegrense. Músicos, amigos e fãs de todos os tipos estavam ali. Uns porque viam o Defalla na época, eram velhos amigos e compartilhavam tudo aquilo, e outros eram fãs mesmo, novas gerações que só ouviram falar das muitas historias que a banda propiciava.

fila na entrada do show

Eu estava na fila dos fãs que nunca tinham visto essa formação ao vivo. E confesso que a expectativa era grande. Será que eles vão mudar os arranjos, será que eles vão tocar o disco inteiro??? E tudo aos poucos foi se confirmando. E mais do que isso confirmando aquilo que eu sempre disse do Deffala (e criei vergonha na cara para escrever – está aqui o link http://www.senhorf.com.br/agencia/main.jsp?codTexto=6209). Nem precisa ler o texto todo o resumo é simples: O Defalla é foda!!!

Vendo ao vivo, mais de 20 e poucos anos depois, só confirmei tudo o que eu sempre disse. A química entre o baixo e bateria da banda é impecável. O Castor na guitarra é único e o Edu k é simplesmente o melhor vocalista de todos os tempos do rock nacional.

thamudafhuckin'k

E o legal é ver eles alegres se divertindo com tudo aquilo. Mesmo na hora de tocar a música “tinha um guarda na porta” eles ironizaram dizendo, vocês não querem que a gente toque isso né??? O publico confirmou que sim. Eles tiveram que tocar. As músicas foram executadas de forma sensacional. Tudo estava muito próximo ao disco e o que é melhor com som bom, luz e infra estrutura que talvez o Defalla da década de 80 não dispunha e o que é melhor experiência acumulada de vários anos.

É legal perceber que a química esta intacta. Está tudo ali. O Flavio não se mexia muito na época e continua não se mexendo agora e nem precisa. O baixo é presente o tempo todo de maneira intensa. A Biba é algo sem explicação, é sensacional vê-la, ou melhor ouvi-la tocando o terror. Sempre com uma postura ereta como se aquilo tudo fosse a coisa mais fácil do mundo de fazer. Estava tudo ali, as viradas, as batidas as quebradas. O Castor é outro fator importante nisso tudo. Ele é um guitarrista simples, mas muito inventivo e a força da banda está na química perfeita que isso gera. O Defalla é o conjunto de todos eles. Cada um com suas peculiaridades musicais e defeitos. E nessa mistura inusitada que se forma a essência da banda mais criativa do rock brasileiro depois dos Mutantes. E o Edu k? Pois bem o Edu é o Edu. E todo mundo sabe disso. E ali ele fez jus a fama e  ele se comportou como sempre. Como um débil mental, agitando muito, falando um monte de merda, dando umas tchuchada numa mamadeira e mandando abraços pra todo mundo o tempo todo como se tivesse desfilando num carro alegórico. Sem medo de passar vergonha com uma franja emo, mas  cantando muito. É impressionante vê-lo ao vivo fazendo aquilo que ele fez nos discos como se aquilo fosse brincadeira de criança. Ele faz o que quer com a voz. Quando empunha a guitarra daí predomina o caos total. O jeito de tocar é único. Ele fica fazendo barulhos ensurdecedores com microfonias e afins.

Não poderia deixar de destacar a proposta do evento discografia. A idéia é genial. É um projeto do Lele (da produtora Olele) produtor de diversas bandas o rock gaúcho que apostou na idéia do resgate das discografias ao vivo. As bandas se apresentam tocando um disco inteiro e na seqüência. E diversas bandas já participaram do projeto. De todas que participaram, o Defalla é a banda que trouxe esse peso da relevância histórica, por uma serie de motivos relatados antes. Mas principalmente pelo resgate de uma formação que não se apresentava junto desde o fatídico show no teatro Presidente em 89, em que a Biba abandonou o Barco. O projeto poderia trazer mais essa característica, de trazer o Replicantes com o Gerbase o e Wander, a Graforréia com o Marcelo Birck, a Comunidade como Mano Sonho. Mas enfim… impendente disso o projeto discografia é do caralho.

primeiro show da noite

Outra coisa que é interessante perceber nos shows do Defalla, é que a banda sempre foi bem humorada. Apesar da seriedade das músicas e letras (talvez nem tanto) a banda é irônica e sarcásticas. Na época talvez não se entendesse muito bem esse humor que soa um pouco agressivo, mas que hoje fica muito mais fácil e acessível. O Edu continua sendo xingado e xingando todo mundo. Eles são muito engraçados e se divertem com tudo. A piada do Edu dizendo que o Castor é o pai do Justin Bieber porque ele é o Justin Biever, foi sensacional. Outra coisa que ninguém entendeu muito bem. Mas todos que são fãs adoraram foi o fato deles tocar duas vezes na mesma noite. Isso mesmo. Duas sessões. Uma que começou a meia noite e terminou a uma hora e a outra que começou as duas e meia e terminou as três e meia. Se o primeiro show foi legal o segundo foi mais descontraído. E não podia deixar de faltar as piadas com os Engenheiros do Hawaii, amor antigo, que se consolidou na música “Sobre o amanhã” que o Edu iniciou cantando “raiuêi, infinita raiuêi”. E depois dedicou a música pro Humberto Messenger inventor do Hot Mail. Nos bis ainda rolou “It’s Fuking Borin” hit do segundo disco.

segundo show da noite

Em Porto Alegre a banda sempre teve público. Mas não sei se a coisa toda teria pique para uma turnê com diversos shows. Fora esse séquito de seguidores que acompanham a banda e que tentam a todo custo resgatar a banda, contando histórias, resgatando videos, pensando em documentários ou quadrinhos. Mas não me surpreenderia se o Brasil descobrisse o Defalla tanto tempo depois. O show mostrou que tudo ainda é possível. Mas não sei se a banda volta. O discurso é de que foi tudo uma ilusão. E os fãs sempre defendem e potencializam tudo. Ainda bem que eu estava lá. Se me contassem eu não acreditaria.

Gostaria de deixar aqui registrado os agradecimentos ao Giovani Paim que fotografou o show e cedeu as fotos para esta matéria. Aqui você confere mais fotos do show:

http://www.flickr.com/photos/_giovanipaim/collections/ .

Tem vídeos e registros na internete: Confira!

*Ferida*
http://www.youtube.com/watch?v=NFhjHh0Sk9s&feature=relmfu

*Q Qué Icho?*
http://www.youtube.com/watch?v=js1GWk75sKc

*Sodomia*
http://www.youtube.com/watch?v=7qNJTBijpOo

*Não Me Mande Flores*
http://www.youtube.com/watch?v=Xuh2ZWO6XBA&feature=related

*Idéias Primais*
http://www.youtube.com/watch?v=KZ5KvIasFqQ&feature=channel_video_title

*Sobre Amanhã*
http://www.youtube.com/watch?v=mTRp89J1Fjk&feature=relmfu

*Alguma Coisa*
http://www.youtube.com/watch?v=L3FqfP3QCFI&feature=related

Para ter acesso a discografia da banda.

http://defalla.4shared.com/

Flickr Defalla com diversas fotos novas e antigas.

http://www.flickr.com/photos/defalla/

Defalla no facebook

 http://www.facebook.com/pages/Defalla/191928584163

projetos do Edu K:
http://noedukation.blogspot.com/

www.myspace.com/edukfrenetiko

www.twitter.com/edukeduk

www.formspring.me/edukeduk

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: