05 – Fui no Marquise 51.

Passei lá com a intenção de digitalizar a demo do Repolho (conforme relato acima citado). Já tinha contato com os guris do Identidade e me ensaiado para escrever algo sobre a banda, o Marquise e afins. O texto acabou não rolando por motivos escusos a minha vontade…  mas sempre me chamou a atenção o lance explosivo e despojado dos shows em contrapartida e esse lado “empresarial” que eles apostavam e que se concretizou através do Marquise 51.

É legal ver o rock atrás de mesas de escritório. E passado alguns anos, desde que conheci a proposta e que ainda eram idéias, fica fácil perceber a seriedade com que as coisas acontecem ali. Mais do que isso passa a ser uma referencia em organizações culturais/comerciais. O cultural é legal, mas sempre o fator comercial esteve atrelado a isso tudo para que as coisas aconteçam. Acho sensacionais essas iniciativas que surgem no sentido de organizar as coisas e potencializar tudo de maneira eficiente. É nesse hibrido de diferentes possibilidades e funções que conseguimos alavancar o meio alternativo/underground. O lado mais despojado, irreverente e radical é legal. Mas precisamos organizar isso tudo e aprender a gerenciar as propostas e os espaços.

O Marquise 51 é um selo, tem estúdios de ensaio e gravação, fazem agenciamento de artistas, produção de eventos, serviços de comunicação visual (logotipos, camisetas, cartazes, encartes de CD, sites, boletins eletrônicos e blogs) e produção audiovisual. Tudo isso muito bem pensado e organizado por uma galera que se reúne ali diariamente e consegue potencializar tudo isso de maneira muito eficiente.

A gurizada que começou o projeto, são integrantes da banda Identidade. Que é legal perceber, que mesmo com todo esse envolvimento no lado mais business, não pararam de tocar nem de fazer shows. A banda está a mil e prestes a registrar o seu 4 disco de estúdio.

Nessa visita pude bater um papo com o Lucas “Cabelo” um dos sócios fundadores e fui presenteado com uma série de lançamentos do selo Marquise. Dentre eles uma coletânea promocional do Identidade, disco novo dos Replicantes ao vivo, Tenente Cascavel entre outros.

E também fiquei a par de projetos do Marquise, um exemplo é 3XRock que foi organizado com a idéia de virar um DVD ao vivo reunindo três gerações do rock portoalegrense. Os Replicantes de década de 80, os Acústicos e Valvulados (90) e o identidade (2000). Vi algumas cenas e o resultado está muito bacana e deve ser lançado até outubro de 2011

Acesse e confira muito mais aqui: http://marquise51.com.br

Anúncios

0 Responses to “05 – Fui no Marquise 51.”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: