Arquivo de agosto \19\UTC 2010

Júpiter Maçã – Calling All Bands

Calling All Bands – Versão ao vivo

 Lembrando que Júpiter Maçã vai estar em Chapecó no próximo Sábado 21/08
no Premier Bier – às 23h11
Ingressos antecipados (e limitados)

– Sebo Panacéia (av. F° Machado 435D – fundos). Fone: 9963-9525

– Churrasquito

– Veritá

Abert.POWERTRIO ROCKABEES

É por essas e por outras que eu sempre digo: O Wander é foda.

Conversei com ele há uns três meses atrás quando ele veio tocar em Chapecó no projeto Unocultural, depois disso, aconteceu tudo o que está relatado no e-mail abaixo. Recebi agora há pouco e resolvi compartilhar. Ele é um exemplo de como as coisas podem acontecer no underground quando se tem vontade de trabalhar. Esse é o verdadeiro espírito das coisas. Leia o texto abaixo onde ele descreve de forma rápida a sua passagem por diversos países, inspirações para compor, gravação do single e lançamento do novo clipe.

O clipe novo tá aqui:

http://vimeo.com/14125027

Wander Wildner no muro de Berlin

Texto do Wander.

Com espirito aventureiro, caí na estrada e rumei ao extremo sul em busca de inspiração para um novo álbum. Fui a Buenos Aires, andei por suas ruas, ouvi tango, e dali brotaram melodias. Passei por  Montevideo, caminhei pelas ramblas do rio da Prata, encontrei parceiros e outras musicas tomaram forma. Depois cruzei o Atlantico e fui ao velho mundo. Aportei em Berlin, aluguei um quarto ao lado de um parque e comprei uma bicicleta. Com o violão em punho viajei no tempo e voltei a uma época onde a musica folk predominava e fez a cabeça de uma geração.  A idéia para o novo disco estava definida.

 Agora regressei a Porto Alegre para gravar esse material junto dos amigos e trouxe comigo o primeiro single pronto. “As Coisas Mudam” foi composta e produzida em Berlin, e o videoclipe, que estréia na MTV nessa semana, foi dirigido e produzido por Denise Garcia, diretora do premiado documentário “Sou feia mas tô na moda”, juntamente com o fotógrafo e editor Cassiano Griesang. Nele se fundem imagens de duas Alemanhas, a que construíu um muro dividindo a cidade, e a que foi reconstruída após a derrubada desse mesmo muro.

 No dia 2 inicio uma temporada de shows no Zelig Bar, em Porto Alegre, e durante todas quintas do mês de setembro estarei mostrando parte desse novo repertório ao lado de meus comancheros. O novo álbum deve ser lançado em novembro pelo selo Fora da Lei com distribuição nacional da Unimar Music.

Clique aqui para ver o video

www.wanderwildner.com.br

www.myspace.com/wanderwildner

www.youtube.com/wanderwildner

JUPITER MAÇÃ em Chapecó.Premier Bier.

Abert.POWERTRIO ROCKABEES
Sábado 21/08
no Premier Bier
às 23h11
Ingressos antecipados (e limitados)

– Sebo Panacéia (av. F° Machado 435D – fundos). Fone: 9963-9525

– Churrasquito

– Veritá

Clique na imagem para ver melhor:

Ainda falando de Jorge Mautner…

 

Maestro zezinho sete notas por favor!

Saiu no site dos armênios o texto do Rodrigo Garras sobre o show em Chapecó. Satori ou …ou 7 notas sobre a passagem de Jorge Mautner pelo velho oeste catarinense. De forma bem humorado ele faz o tipo vários jornalistas com vários pontos de vista. Acesse e confira.

http://www.osarmenios.com.br/2010/08/satori-em-chapeco/

 

Tem também entrevista/bate papo exclusivo com Mautner/Jacobina.

É o programa 4 queijos que está rolando no canal da Unochapecó (canal 15).

Mas também está aqui na internete para você ver na hora que tiver vontade. Ou não.

 (http://www.unochapeco.edu.br/unowebtv/play/programa-12-08-2010-01)

Link 4 queijos:

http://www.unochapeco.edu.br/unowebtv/programa/4-queijos

Mostra em Floripa exibe o filme Tchuco, Baúco e Sporcatione

O QUE: sessão do Cineclube Ieda Beck “POR ONDE ANDA O ROCK”

QUANDO: quarta, 18 de Agosto, as 19h

ONDE: Instituto Arco-Iris. Travessa Ratclif, 56 (esquina com Joao Pinto)

QUANTO: Entrada Franca e livre

Ficha completa:

Julho teve o Dia do Rock, mas como o rock dorme (e acorda) tarde, o cineclube Ieda Beck decidiu fazer agosto o Mês do Rock!

Nesta quarta-feira dia 18 é a vez de produções brasileiras e internacionais juntarem forças numa busca psycho-existencial:

POR ONDE ANDA O ROCK?

Há quem diga que o rock morreu. Mas se morreu, cadê o corpo? O cineclube Ieda Beck apresenta três curtas-metragens que desafiam essa afirmação, justamente buscando o rock nos quatro cantos do mundo… e encontrando ele muito vivo, por sinal! De Floripa para a Europa via Oregon, EUA com escala em Porto Alegre, são inusitados filmes de busca onde a bússola aponta, com humor,  para o bom e velho Rock & Roll.

Filme 01 – Cadê Chiva Knevil?

de Chiva Knevil e Alan Langdon. Documentário musical. 33’. 2006. EUA

filme 02 – O Caso do Cantor Desaparecido

de Rafael Rodrigues. Ficção. 16’. 2003. RS, Brasil

filme 03 – Irmãos Panarotto – Tchuco Baúco & Sporcatione

de Chico Caprário e Marco Martins. 30’. 2008. SC, Brasil

*sinopses dos filmes logo abaixo

O QUE: sessao do Cineclube Ieda Beck “POR ONDE ANDA O ROCK”

QUANDO: quarta, 18 de Agosto, as 19h

ONDE: Instituto Arco-Iris. Travessa Ratclif, 56 (esquina com Joao Pinto)

QUANTO: Entrada Franca e livre

UMA REALIZAÇÃO Cinemateca Catarinense, Pref. Municipal de Florianópolis, Funcine, Travessa Cultural, Fundação Franklin Cascaes

CONTATOS Cinemateca Catarinense (48) 3224.7239   Sofia Mafalda (48) 9125.5306   Alan Langdon (48) 9941.2714   contato@cinematecacatarinense.or

OS FILMES:

Cadê Chiva Knevil? de Chiva Knevil e Alan Langdon. Documentário Musical. 33’. 2006. EUA Como toda banda de rock, os caras do Chiva Knevil gostariam de “acontecer” na cena. O que exatamente isso significa (e se eles vão conseguir o não)

não está bem claro. Mas uma coisa é certa: a melhor parte é tentar. O documentário-musical acompanha a banda de Oregon, EUA na sua busca pelo mítico Chiva Knevil, passando por um território criativo muitas vezes desconsiderado: a diversão.

O Caso do Cantor Desaparecido de Rafael Rodrigues. Ficção. 16’. 2003. RS, Brasil

King Jim é um experiente detetive, que conhece os atalhos para o submundo. As notas de seu saxofone o acompanham enquanto aguarda novos casos. Sheila é um tele-reporter que auxilia o detetive nas suas investigações. As imagens de sua velha câmera ajudam na identificação de possíveis suspeitos. A metrópole oferece os elementos necessários para que exerçam seu ofício: dinheiro, traição, mulheres, estricnina e muito rock and roll.

Irmãos Panarotto – Tchuco Baúco e Sporcatione. de Chico Caprário e Marco Martins. 30’. 2008. SC, Brasil

Muito mais do que uma viagem. Um filme. Uma grande produção, gravada em vídeo, fitas recicláveis, câmera amador, em cenários naturais respeitando todas as falhas possíveis e inimagináveis. Dois irmãos que se encontram em uma estação de trem fantasma. Só o tempo poderá explicar.

Alan Langdon

http://www.BETOVA.tv

http://www.CASAdoALAN.com.br

Cerveja Falada

Curta-metragem 35mm sobre Rupprecht Loeffler e Cervejaria Canoinhense estréia dia 09 de agosto em Canoinhas.

Com direção de Demétrio Panarotto, Luiz Henrique Cudo e Guto Lima, o curta-metragem Cerveja Falada será lançado dia 09 agosto, segunda-feira, às 19h, no Cine Queluz, em Canoinhas, Santa Catarina. Haverá uma segunda sessão no mesmo dia e local às 19h30min. A organização do evento em Canoinhas fica a cargo da Fundação Cultural de Canoinhas e previsão de lançamento em Florianópolis é para outubro de 2010.

O documentário, sobre Rupprecht Loeffler e sua cervejaria Canoinhense, foi premiado no edital Prêmio Cinemateca Catarinense/Fundação Catarinense de Cultura de 2008 e rodado durante os meses de junho e julho de 2009, na cidade de Canoinhas, interior de Santa Catarina. Montado em Florianópolis no segundo semestre do mesmo ano, a obra foi finalizada 35 mm no mês de março de 2010, em São Paulo. A produção é assinada pela Exato Segundo Produções Artísticas LTDA.

Rupprecht Loeffler é filho de imigrantes alemães que desembarcaram em Santa Catarina no final do século XIX e que, como muitos outros imigrantes, trouxeram na bagagem a paixão germânica pela produção de cerveja e construíram parte da identidade cultural destes povos e cidades com suas cervejarias.

A cervejaria Canoinhense, fundada em 1908 e passada de pai para filho, é a única no Brasil que conseguiu manter as suas características originais e atividades até os dias de hoje. Mantêm a forma de produção cervejeira de um passado distante nos moldes das cervejarias alemãs do século XIX, como se tivesse parado no tempo. Uma prova ainda viva de técnicas que foram se tornando obsoletas diante das facilidades da vida moderna, métodos e tipos de vida que parecem não ter mais espaço no dia-a-dia conturbado das grandes cidades.

Seu Loeffler, hoje com noventa e três anos, acompanhado de dona Gerda, com quem está casado a sessenta, orgulha-se muito desta trajetória e nos conta no filme muitas situações vividas ao longo dos anos. Propicia assim ao espectador um passeio por fatos importantes que marcaram a história do século passado. Remonta a memória de seu pai e do século XIX, ingressa com lucidez e vivacidade no século XXI, contando-as com um olhar de quem passou a vida envolvido com uma de suas grandes paixões: a cerveja.

O documentário, com 15 minutos de duração, é apenas um aperitivo – e não tinha como ser diferente – desta história, e ao mesmo tempo um convite para que as pessoas conheçam um pouco mais do legado da cervejaria Canoinhense, de seu Loeffler e de sua vida devotada a paixão pelo trabalho e a manutenção de uma tradição familiar.

INFORMAÇÕES:

O QUÊ: Lançamento do curta-metragem Cerveja Falada

ONDE: Cine Queluz – Rua Coronel Albuquerque,633, Centro – Canoinhas – Santa Catarina QUANDO: 09 de agosto (segunda-feira); HORÁRIOS: Sessão às 19h e 19h30min; QUANTO: Entrada franca

SITE OFICIAL: www.exatosegundo.com.br

O nosso show dos anos 80 é muito mais legal.

Nessa década (atual, de atualmente, hoje em dia, mais precisamente agora) resgatou-se em muitos momentos os anos 80. Isso mesmo, aquilo que era visto como a década dos sem noção em todos os aspectos culturais, acabou virando mania com pérolas sendo publicada o tempo todo na internete, livros de fofoca e youtube da vida. Virou cult. Desde o penteado estranho, roupas estravagantes, músicas mal gravadas, cinema e comportamento. Tudo estava envolto nessa aura de valorização da década. Pois bem, na música o que se sucedeu a isso foram festas e revivals de bandas e covers e visuais etc.

Chapecó não está entrando na onda. Está simplesmente estabelecendo um link com uma geração da música chapecoense que ainda está aí e que vale a pena ser visto ou lembrado. Hoje a cidade tem uma movimentação artístico cultural voltado as bandas de rock. Mas é legal perceber de onde que veio isso tudo. É por isso que o Evento Unocultural – show de rock anos 80 com o Seno, Gilmar Guerreiro e Billy, percebendo a importância disso tudo reuniu esse pessoal para um show no sindicato dos bancários. É importante a presença de todos para conferir e perceber que estes que eram jovens na década de 80 tiveram sua devida importância na publicação sonora através de trabalhos autorais focando em composições que refletem o momento social a cultural que vivíamos. Isso tudo esta registrado nas letras das músicas, nos compactos em vinil e na forma de se fazer música.

Com a dupla Irmãos Panarotto fizemos um resgate no primeiro disco intitulado “2Violão e 1Balde”. Além da música do Tyto Livi – “Memórias de Um Certo Louco” regrávamos “Chimarrão” do Gilmar Guerreiro. O Nico do Epopéia fez o seu trabalho de conclusão de curso resgatando um pouco dessas histórias que ainda incluía o Paranóia entre outros. Tive a oportunidade há um tempo atrás de ver um ensaio coletivo com eles e foi muito legal. Já tinha visto shows deles na década de 80, e ao rever isso num ensaio, um churrasco com rock para ser mais preciso, pude perceber que aquilo tudo ainda fazia sentido. E que poderíamos reunir isso tudo num show reunindo as pessoas que viram isso acontecer e mostrar as novas gerações que na década de 70 e 80 em Chapecó já tinha rock e dos bons. O evento Unocultural anos 80 é um resgate disso. E por isso é que convido a todos para se fazerem presentes e ressalto a importância dessa data.

Show com Gilmar Guerreiro, Billy e Seno.

Dia 06.08 – Auditório do Sindicato dos Bancários

As 19:30

Entrada gratuita

 Mais informações:

www.unocultural.tumblr.com

www.twitter.com/unocultural